AS PALAVRAS E AS IDEIAS

Gosto mais das palavras do que das ideias. Isto é, gosto das ideias para fins de contemplação. Elas não deveriam ser escritas. As ideias deveriam nascer e morrer na cabeça do pensador (inclusive esta). Se assim o fosse, o mundo seria melhor. Tenho medo de boas ideias (boas ideias são como pacifistas, que é gente muito perigosa). Pensar é bom, escrever é ruim. Pensar é o bem, escrever é o mal. Então, gosto das palavras como o amontoado de letras pronunciáveis que são. As palavras existem para serem pronunciadas em boa dicção. O significado das coisas são as coisas. As palavras existem por si, sem nenhuma função, são obras, não matéria-prima. Quando a palavra é boa e bonita não me interessa saber o que ela significa. A prosa sofre do terrível mal da utilidade. Toda prosa conta, descreve, argumenta é, enfim, serva das idéias ou dos acontecimentos. A prosa esta presa. Meu sonho é ver uma prosa tão livre a ponto de ser magnificamente elevada à inutilidade, isto é à categoria de arte.

Anúncios

3 Respostas para “AS PALAVRAS E AS IDEIAS

  1. Que lindo, a última frase então…
    Beijo

  2. Olá, César. Muito bom esse texto, de uma perspicácia que positivamente, se isso existe, que me fez rir. E isso é bom. Gostei do texto. Li outras crônicas suas e também gostei delas. Voltarei para ler mais.
    Abraço,

  3. como já disse Clarice, palavras podem salvar o coração, mesmo q não signifiquem nada. e isso é fantástico!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s