EU TE AMO

“Eu te amo” são como digitais. Cada um tem o seu e você jamais saberá o que o outro quis dizer quando disse a frase. Muitos evitam dizê-la e evitam ouvi-la, como se ela estivesse em uma posição quase intocável na escala ontológica das frases. Outros dizem “eu te amo” a toda hora e circunstância. Ambos estão certos. Deveriam, porém, entender que o seu “eu te amo” não é mesma coisa do “eu te amo” do outro, pois, para alguns são apenas palavras, para outros é a própria divindade, para outros é um meio termo e seguem matizes em quantidade igual a dos pronunciadores. O fato é que o amor humano é mesmo defeituoso e é condicionado. Amamos o que precisamos? Amamos o que necessitamos? Nem sempre. Às vezes amamos a quem, apenas, queremos estar à disposição, mas não queremos, obrigatoriamente, por perto o tempo todo, justamente porque a amamos (fiz há um tempo uma frase assim: “eu te amo, mas, por favor, não tome isto como uma cantada”). Então, dizer “eu te amo” para essa pessoa é o mesmo que dizer “estou a sua disposição” com um pouco mais de ênfase. É dizer também “eu não me caso contigo justamente porque te amo, mas se precisar de mim para qualquer outra coisa, estou aqui”. Enfim, em grego, por exemplo, a palavra “amor” tem vários nomes, diferentemente do português, o que pode significar que sabemos muito pouco sobre o amor, pois o reduzimos quase sempre à mesma coisa. A polissemia sempre atrapalha o entendimento. Além disso, há a velha dificuldade de comunicação entre as pessoas. Para ajudar, sugiro que todo mundo escreva um pequeno texto (coisa pouca, uns dois mil toques só, algo como o tamanho deste post) com o título “O meu ‘eu te amo’”, faça um blog e publique lá para que as pessoas vejam e entendam o que você quer dizer quando diz “eu te amo”. Tenho idéia melhor, todos deveríamos fazer um dicionário (dinâmico, sempre atualizado e alterado, pois podemos mudar de opinião) de nós mesmo para que entendessem o que queremos dizer quando dizemos frases feitas. Seria um dicionário com verbetes como: “diz aí”, “puta que pariu”, “puta merda!”, “tudo bem?”, “eu te amo” (claro), “caraca!” “má-rapaz!”, pois mesmo dizendo a mesma coisa nem sempre estamos dizendo a mesma coisa. “Política”, por exemplo, é uma palavra que eu jamais vou entender a acepção que a maioria dá a ela, mas paro por aqui, já passaram os dois mil toques.

Anúncios

15 Respostas para “EU TE AMO

  1. Gostei do texto, do blog. Parabéns pelas provocações textuais. Encontrei teu espaço no blog de uma amiga e ai as tramas vão se fazendo.
    Abraços,
    Aninha

  2. O final sugere O Invertebrado do Igor Taam, que pode ser gratuitamente acessado pelo link:
    http://dicionarioinvertebrado.wordpress.com/
    Não posso sair sem dizer que Eu te amo, mon ami.
    Fraternellement,
    Beto.

  3. Que texto gostoso!
    Aliás, que saudades do tempo em que eu ficava escrevendo e xeretando os outros! Vou seguir sua idéia e escrever um post sobre o”O meu eu te amo”. Quando o fizer, aviso você.
    Em todo caso, Eu te amo!:)

  4. Acho que o significado da palavra depende do momento…Dá uma visitada no meu blog!

  5. Mais uma vez, Adalberto, honradíssimo.
    Um forte abraço,

  6. E verbetei o amor no Invertebrado.

  7. genial. escrevo amanhã sobre o meu eu te amo

  8. oisss!
    tb fiquei com vontade de escrever. inclusive, acho mesmo q será uma boa forma de exorcizar várias outras coisas q andei escrevendo e falando e fazendo.
    graciasss pela idéia inspiradora!
    =)
    bjoss

  9. Mon ami,
    Paris te abarcou inteiro. Estamos com saudades.
    Por que não postar algumas fotos?
    Fraternellement,
    BetoQ.

  10. Adorei o texto e vou seguir a dica. Difícil tarefa, mas aceito o desafio: vou escrever sobre o meu ‘eu te amo’.
    Abração!

  11. Como foi Paris-BSB?
    Ou melhor, comece a nos (re)contar impressões sobre Paris e Les Pyrénées (a Piri lá deles).
    Fraternellement,
    Beto

  12. Gostei muito desse post. Eu tenho algum tipo de neurose que me torna muito obsecada pelo significado das palavras. Enquanto lia o post, fiquei pensando: ainda que o meu “eu te amo” seja diferente do seu, o “eu não te amo” não parece receber uma definição mais unânime? Very weird.
    Eu só não escrevo o meu “eu te amo” amanhã porque terminei o namoro recentemente e, por isso, estou naquela posição frágil dos personagens femininos de Jane Austen.

  13. Quando eu tiver um tempinho de novo, vou fazer o meu dicionário.
    Dez este teu texto.
    Abraços, César

  14. Obrigado pelo incentivo! Foi relativamente difícil.
    Bj, Natalia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s