SANGUE

No meu sangue tem saudades
Tem o pranto que escondi
Tem o riso que guardei
Tem o peso da idade
No meu sangue tem pedaços de mim

No meu sangue há novidades,
Meu sangue não é azul
É vermelho e transparente
Refletindo totalmente
Meus sonhos da mocidade
O meu sangue corre pros mares do sul

No meu sangue há naufrágios
Meu sangue há mapas em branco,
Mantras, astros, mastros, mantos,
Meu sangue é um mar bem frágil.
Onde bóiam multidões.

No meu sangue há tubarões
Sardinhas, gatos, baleias
Meu sangue não corre em veias
Meu sangue voa em tufões
Em que navegam voadeiras

E afogado em meu sangue
Bóia um corpo naquele mar
Que eu tento resgatar
Um corpo bem familiar
De quem não sabe nadar
Mas que teima em navegar
E morre no próprio sangue.

Sou eu o corpo a boiar.
Mas eis que entendo a mão
E me puxo para dentro da embarcação.

Anúncios

2 Respostas para “SANGUE

  1. Surreal…

  2. Meio Jorge de Lima com Murilo.
    Estética do gosto vale?
    Gostei.
    Mes Amitiés,
    BetoQ.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s