FOTOGRAFIA AMARGA

Você gostaria de ser fotografado e exposto como símbolo da miséria? Gostaria de ser modelo do calendário “Os desvalidos do ano”? Bem, se você for mesmo um desvalido, você nem sabe do que se trata, nem sabe o que é uma máquina fotográfica ou direito de imagem, então, nem imagina o contexto em que lhe inserirão. Uma amiga minha precisava de umas fotos de pobres para fazer um trabalho na faculdade. Pegou uma máquina e saiu tirando foto dos miseráveis que encontrava. Logo nos primeiros flashes se sentiu mal, muito mal. Que direito ela teria de expor aquela pessoa como sendo o protótipo da miséria? Ora, ela não gostaria que fizessem isso com ela, então colocou a máquina na sacola e desistiu da tarefa. Ela não encontrou um bom motivo para ser um tipo de gigolô da miséria desses que tem por aí e, enquanto dispara sua objetiva, “sabe” que está fazendo aquilo por um bom motivo. Na cabeça deles é mais ou menos como matar um rato para ajudar na cura de uma doença. Acontece que gente não é rato e com gente é diferente. A invasão ao direito da imagem não tem conserto. Depois que você aparece, contra sua vontade, na capa do livro de luxo do fotógrafo famoso como sendo o lascado da década, o estrago é indelével. Há outra coisa, um homem do mundo, desses que conhecem todo o planeta e tem boa formação, convence com grande facilidade uma pessoa miserável de que aquela foto não é nada demais. Mesmo uma foto autorizada de uma criança descalça com catarro escorrendo (“posso tirar sua foto, minha filha?” A menina responde que pode) traria problemas éticos à mente de um ser humano normal. Mas os tais “benfeitores da humanidade” discordam do I-Ching, pois para eles os fins justificam os meios e tome porrada e cusparada no indivíduo, pelo bem da humanidade. Toda arte que levanta bandeira dá um tiro no pé. No pé da arte, pois para o bolso do artista, muitas vezes, é bom. A política tem o toque de merdas, quando você infla sua arte de política, ela deixa de ser arte e se transforma em política. Você será lembrado pela sua “mensagem”, ninguém falará da beleza de sua arte, pois ela, de fato, por culpa sua, é apenas empregada doméstica de sua ideologia.

Anúncios

4 Respostas para “FOTOGRAFIA AMARGA

  1. Ah, César… Sua amiga provavelmente não fará carreira (se ela é fotógrafa) e se fizer será daqueles fotógrafos “inensíveis que não entendem a vida não é só beleza.” Este tipo de fotografia faz um sucesso enorme. Em todas as exposições e museus que eu vou sempre tem o pobrinho remelentinho marcando presença. Livros de fotografia, preciso ver antes de comprar senão é aquele monte de páginas e páginas de “gente sofrida”.

  2. César,que texto!!Gostei muito!!

  3. na Feira Hippie tem um mendigo lindo – ele é muito negro, muito velho e enrugado com cabelos em dreads muito brancos. Fui fotografá-lo e ele gritou: Ficou louca? Tira essa porra da minha cara senão eu acabo com você! Idiota! Tá me achando com cara de palhaço de circo? Então paga ingresso pra ver! – Além do susto, senti uma enorme vergonha da minha total falta de compaixão pelo próximo. Retratos hoje, só de amigos e familiares.

  4. não tinha pensado nisso…..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s